RSS

Bruna Surfistinha









Não li seu livro, nunca acessei o seu blog, sendo honesto com voces, conheci a Bruna Surfistinha através do seu filme pornô que ela fez. Hoje finalmente eu assisti o filme Bruna Surfistinha
Assisti o filme sem esperar nada além de um filme picante, pois é, me arrasei…
Como todos sabem o filme retrata a historia da Raquel Pacheco, mais conhecida como “Bruna Surfistinha” uma garota de programa que ficou famosa, ao relatar em seu blog, as historias que acontecia no seu apartamento, enquanto atendia a seus clientes.


A  protagonista do filme é a Deborah Secco, que na minha opinião encarnou muito bem uma prostituta ascendente (não posso falar que ela encarnou a Bruna Surfistinha pois como disse acima, eu nunca tinha visto nada além do seu filme pornô), que faz de tudo para conseguir andar com as suas proprias pernas. Filha adotiva de uma familia de classe media alta, sempre se sentindo menosprezada pelo pai e pelo irmão, decide fugir de casa e procurar um “prive” (puteiro na nossa lingua). Com 18 anos de idade e sem saber nada do mundo afora, Bruna (pseudonimo criado pela Raquel para esconder seu passado) passa a ganhar toda a clientela do Prive. Como muitas outras prostitutas, Bruna acaba viciando-se em Cocaína, onde começa a perder tudo o que tem. Deborah Secco conseguiu ser quem ela é, uma libertina. Gostei de sua atuação e de suas crises por cocaína e só. O filme não retrata como que a Bruna conseguiu sair da vida prostituição e vicio, não mostra como ela conseguiu dar realmente a volta por cima quando todos diziam o contrario. Enfim, Acho que o filme poderia ser bem mais do que sexo e cocaína… mas, com a nossa sociedade hipócrita, aceitar o fato de que uma Prostituta, viciada em cocaina, conseguiu vencer na vida, mesmo que seja do jeito dela.


O filme que lidera as bilheterias brasileiras, já faturou mais do que o dobro do seu orçamento, estimado em R$ 4 milhões.Até o momento o longa-metragem já levou 1,12 milhão de pessoas aos cinemas e arrecadou R$ 9 milhões com menos de duas semanas em cartaz.

                                                                  

                                 

Poster Oficial

Capa do Livro

A verdadeira Surfistinha

Bruna Surfistinha




título original: (Bruna Surfistinha)

lançamento: 2011 (Brasil)
direção:Marcus Baldini
atores: Deborah SeccoDrica Moraes, Fabíula Nascimento, Cristina Lago.
duração: 109 min
gênero: Drama
status: Em cartaz

Sinopse

Raquel (Deborah Secco) era uma jovem da classe média paulistana, que estudava num colégio tradicional da cidade. Um dia ela tomou uma decisão surpreendente: virar garota de programa. Com o codinome de Bruna Surfistinha, Raquel viveu diversas experiências “profissionais” e ganhou destaque nacional ao contar suas aventuras sexuais e afetivas num blog, que depois acabou virando um livro e tornou-se um best seller.

Ficha Técnica

título original:Bruna Surfistinha
gênero:Drama
duração:1 hr 49 min
ano de lançamento: 2011
estúdio: TV Zero | Damasco Filmes e RioFilme (coprodutores)
distribuidora: Imagem Filmes
direção: Marcus Baldini
roteiro: Antonia Pelegrinno, Homero Olivetto e José Carvalho, baseado em livro de Raquel Pacheco
produção: Rodrigo Letier, Roberto Berliner e Marcus Baldini
música:
fotografia: Marcelo Corpanni
direção de arte: Luiz Roque
figurino: Leticia Barbieri
edição: Manga Campion
 
6 Comentários

Publicado por em 10/03/2011 em Reviews

 

RapaduraCast 225 – A Evolução dos Efeitos Especiais/Visuais

Boa noite Cinéfilos de plantão!!!

Esta atrasado mais saiu!!! RapaduraCast 225 está no AR! Foi UPado hoje as 6:41 da manha, e agora, 12 horas depois, estou postando para voces! Estou escutando neste momento, e depois eu fala para voces sobre o que eu achei!
Para quem não conhece, o RapaduraCast é o PodCast do Portal Cinema com Rapadura, um dos melhores portais de cinema do Brasil! Aprendi a gostar de cinema através deste PodCast semanal, que conseguiu despertar em mim a paixão pela Sétima Arte! Sem mais conversas, vamos ao Cast.


Clique na imagem para ser direcionado para o Site do RapaduraCast



É difícil existir um filme popular que não tenha um tratamento digital. Pois é, o efeito visual é um recurso que não só ajuda a melhorar a qualidade do produto final, como pode servir de opção narrativa. Desde de quando ele é utilizado? Qual a diferença entre efeitos especiais e efeitos visuais?
Jurandir Filho (Juras), Thiago Siqueira (Siqueira), Jotacê (Jotacê) e Marcelo Souza (@msouza3d) acompanharam o passo a passo dos grandes efeitos da história. Quais os nomes dos responsáveis pelo processo criativo dos grandes truques nos filmes? Quais as obras que são mais lembradas? Por quê os efeitos especiais não ficam datados, mas os efeitos visuais ficam? Viaje conosco em mais um programa sobre a história do cinema e os passos da evolução da indústria.

Pra quem curte cinema de verdade, não tem como nao escutar esse Podcast que é considerado um dos melhores do Brasil!
Recomendo!

 
Deixe um comentário

Publicado por em 09/03/2011 em RapaduraCast

 

Oscar 2011



Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood entregou neste domingo, 27 de fevereiro, o maior prêmio da indústria do cinema de Hollywood, o OscarComandada pela dupla Anne Hathaway (O Diabo Veste Prada) e James Franco (Homem-Aranha), deram show de carisma e bom humor! Até o  Hugh Jackman (X-Men Origens: Wolverine).

Mesmo eu não concordando com algumas escolhas da Academia, Não poderia de postar todos os cotados para ganhar a estatueta mais importante do cinema e quem realmente a levou para a sua estante! Sem dúvida alguma, muitos cinéfilos assim como eu, não concordaram com algumas premiações, enquanto outras, foram de fato, merecidas. 
Tenho certeza que se fosse votado pelo espectador, muitos premiados não seriam estes… 
Deixo aqui minha singela opinião de como eu gostaria que ficasse a premiação:
Para melhor filme, voto com o coração e com a razão: Toy Story 3
Melhor Diretor: 
David Fincher – A Rede Social. Este conseguiu transformar um livro Boring, em um filme dinamico, com um ritmo muito bom!
Melhor Ator: James Franco – 127 Horas. Sei que muitos não concordam, mas ele conseguiu viver o Aron Ralston, viver seu desespero, mostrar sua superação… consegui sentir dor com ele, e me emocionar quando foi resgatado. Na minha Opinião, interpretação perfeita!
Melhor Roteiro Original: A Origem sem dúvida! Nunca vi nada parecido, confuso e original, como A Origem! 
Melhor fotografia: O Discurso do Rei. Não acho que A Origem merecia levar este, O Discurso do Rei é muito mais belo, neste quesito Técnico!
Melhor Trilha Sonora: Hans Zimmer – A Origem. Não preciso justuficar meu voto… é o Hans Zimmer, criador de todas trilhas sonoras marcantes da minha infância/adolescência!

Essas seriam minhas alterações pessoais para o Oscar 2011. Todo o resto eu acho que eu não comentei eu acho o premio merecido! Mas sem mais delongas, vamos a real lista de ganhadores do Oscar 2011!


Melhor filme
A Origem                                                         
Melhor diretor
Tom Hooper – O Discurso do Rei                                     
Darren Aronovsky – Cisne Negro
David Fincher – A Rede Social
David O. Russell – O Vencedor
Joel e Ethan Coen – Bravura Indômita
Melhor ator
Colin Firth – O Discurso do Rei
Jesse Eisenberg – A Rede Social
James Franco – 127 Horas                                                          
Jeff Bridges – Bravura Indômita
Javier Bardem – Biutiful
Melhor atriz
Natalie Portman – Cisne Negro
Nicole Kidman – Reencontrando a Felicidade                                    
Jennifer Lawrence – Inverno da Alma
Michelle Williams – Blue Valentine
Annette Bening – Minhas Mães e meu Pai
Melhor ator coadjuvante
Christian Bale – O Vencedor                                                          
Jeremy Renner – Atração Perigosa
Geoffrey Rush – O Discurso do Rei
John Hawkes – Inverno da Alma
Mark Ruffalo – Minhas Mães e meu Pai
Melhor atriz coadjuvante

Melissa Leo – O Vencedor
Amy Adams – O Vencedor                                                   
Helena Bonham Carter – O Discurso do Rei
Jacki Weaver – Animal Kingdom
Hailee Steinfeld – Bravura Indômita

Melhor roteiro original
O Discurso do Rei                                                                                 
A Origem
Minhas Mães e meu Pai
O Vencedor

Melhor roteiro adaptado
A Rede Social                                                                                   
127 Horas
Toy Story 3
Bravura Indômita
Inverno da Alma

Melhor longa animado
Toy Story 3                                                             
Melhor filme em lingua estrangeira
Em um Mundo Melhor                                           
Melhor direção de arte
Alice no País das Maravilhas                                                   
A Origem
O Discurso do Rei
Bravura Indômita


Melhor fotografia
A Origem                                                                                
Cisne Negro
O Discurso do Rei
A Rede Social                                                    
Bravura Indômita
Melhores efeitos visuais
A Origem
Alice no País das Maravilhas
Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte I

Melhor figurino
Alice no País das Maravilhas
O Discurso do Rei                                           
Bravura Indômita
Melhor montagem

A Rede Social                                                                  
Cisne Negro
O Vencedor
O Discurso do Rei
127 Horas


Melhor maquiagem
Caminho da Liberdade                                           


Melhor documentário
Gasland                                                            
Melhor documentário em curta-metragem
Killing in the Name                                                     


Melhor curta-metragem
The Confession                                                    
Melhor animação em curta-metragem

The Lost Thing                                            
Melhor trilha sonora

Trent Reznor e Atticus Ross – A Rede Social                           
Alexandre Desplat – O Discurso do Rei
John Powell – Como Treinar o seu Dragão
A.R. Rahman – 127 Horas
Hans Zimmer – A Origem



Melhor canção original
“We Belong Together” – Toy Story 3                            
“Coming Home” – Country Strong
“I See the Light” – Enrolados
“If I Rise” – 127 Horas
                                                                                                                              
Melhor edição de som
A Origem
Toy Story 3
Tron – O Legado                                                                  
Bravura Indômita
Melhor mixagem de som
A Origem
Bravura Indômita
O Discurso do Rei
A Rede Social
Salt

Deixem nos comentários, suas preferências, se concordam ou não, o que mais gostaram, o que não gostaram… Expressem suas opiniões! 

 
1 comentário

Publicado por em 03/03/2011 em Oscar

 

Ahhh… O Primeiro Post!

    
    Ontem fui ao cinema com a minha esposa, como há muito não fazia, pois não temos muitos momentos de lazer devido a nossa rotina um pouco incompativel. Eu queria ver “O Ultimo Exorcismo”, que chamou minha atenção devido ao gênero (tenho uma certa queda por filmes assim, voces verão no decorrer dos posts), mas, ela queria ver o filme espirita “Nosso Lar”. Como não chegamos a tempo de pegar a sessão do “Ultimo Exorcismo” e não queríamos esperar tanto para a próxima sessão, acabamos por comprar os ingressos para o “Nosso Lar”.
Nosso Lar
   Como de praxe compramos nossa pipoca e refri, e fomos para a sala. Chegando na sala quinze minutos antes da sessão começar, e tinha apenas quatro pessoas na sala (contando conosco!). Se o filme já não me chamava a atenção pela sua historia, perdi totalmente a esperança de assistir um bom filme brasileiro, quando eu vi a sala toda vazia. Como  fui tolo! Nos próximos quinze minutos os espectadores foram chegando, não chegou a lotar a sala, mas, ao iniciar a sessão, metada da Sala estava ocupada. Filme começado, e de cara já tinha recuperado toda a minha esperança de sair do cinema com meu sorriso estampado. Não vou falar sobre o filme (pelo menos não agora), mas, posso assegurar que me surpreendi com todo o filme, desde fotografia até a animação. Minha esposa saiu desidratada da sala, por tanto chorar, mas acima de tudo satisfeita. E foi por essa satisfação garantida, que eu consegui convence-la de pegar mais uma sessão, dessa vez, eu escolheria! Pelo horário apertado, só me restou um filme pra ver, “Karate Kid”. 
Karate Kid
     Vou ser sincero pra voces, queria assisti esse filme por dois motivos: Jackie Chan estava nele (sou muito fã do Chan) e porra, era Karate Kid, não é? Deixe-me explicar, quem nunca tentou dar o “golpe da garça” depois de assistir o filme na sessão da tarde? Karate Kid definitivamente é um clássico da infacia de todos os garotos que nasceram nos anos 80. Então, claro que eu Queria ver esse remake! Porém, tinha o contra peso, o “Daniel San” que no filme original era um adolescente de 16 anos, era interpretado por Jaden Smith (filho do Will Smith) que interpreta  um garoto de 12 anos.  E no filme, cujo o titulo era KARATE Kid, desenrolava uma história de um menino que quer aprender… kung-fu? Whathafuck??? Enfim, não vou falar (neste post) sobre o filme, mas, vou antecipar que eu gostei e recomendo!

     Agora vc, blogueiro, deve estar pensando: Porra, eu não estou em um blog de filmes??? Se estou porque esse cara não está falando sobre os filmes? Calma, vou explicar: Há muito tempo que sou fã de cinema (pelo menos assim eu me considerava…), e sempre que podia ia pegar uma sessão. Na certa, pelo menos uma vez por semana eu ia no cinema. Mas fui relaxando, espaçava cada vez mais um filme do outro… Ate que eu parei mesmo de ir ao cinema, ficando mais de seis meses sem ter meu lazer… O tempo passou, e aos poucos, ao lado da minha esposa (que ainda era namorada, e depois upou noiva rsrs…) fui voltando para a minha grande paixão. Mas, somente há muito pouco tempo atrás, depois que passei a escutar o podcast do cinema com @rapadura, o famoso rapaduracast (indicado pelo @BRSbruno há muito tempo atrás) eu aprendi que não gostava de cinema, mas gostava de alguns filmes dos gêneros que eu gostava (Confuso, não? rs!). Assim, eu não ia ao cinema pra apreciar a sétima arte, eu ia para o cinema para ver as historias que me chamavam a atenção. Depois de escutar alguns programas do rapaduracast, aprendi de fato a gostar do cinema! A apreciar o filme como o diretor (do filme) realmente gostaria que eu (eu?) apreciasse! Passei a ver o cinema realmente como a Sétima arte e então, resolvi criar Um blog de… Cinema!!! Não espero que esse blog seja um sucesso, mesmo porque, não sou crítico de cinema, esse blog é de uma pessoa normal (eu!),  somente para expressar a minha opinião, para outras pessoas que gostem de ler sobre o filme que lhes chamou a atenção… e fim de papo.

 
Ps: acabou a viadagem, o próximo post, faço minha análise de Karate Kid! Aguardem!!!